Hospitalidade e segredos são parte do negócio em novo parque aquático nos EUA

Fabiano Alcântara

Por

Atualizado em 25/05/2017

Volcano Bay

Fabiano Alcântara Volcano Bay

Leia mais

A simpatia pode parecer exagerada, por todo lugar que passa o visitante do novo parque temático da Universal Orlando é saudado com um “kia ora”, saudação em uma língua própria inventada. Hospitalidade aqui não é uma questão de humor, mas de negócios, como quase tudo nos Estados Unidos.

Nesta quinta (25), o Volcano Bay abre suas portas para o público, um dia depois de uma prévia para jornalistas. As primeiras impressões são de uma organização impecável, incluindo detalhes como falso musgo feito com cimento chapiscado em todas as pedras.

O complexo não dá números, mas os brasileiros são ponto central da operação. “A gente espera que todos os brasileiros venham nos visitar porque a gente sabe que vocês curtem, sabem do mundo inteiro, são superconectados e acho que todo mundo está sabendo que este é um parque novo, aquático, temático, imersivo”, afirma em português a venezuelana Alexandra Manrique, porta-voz da Universal Orlando Resort.

Eu insisto em saber uma porcentagem dos visitantes do país, mas ela sai pela tangente. “Não saberia te falar números específicos, mas a gente espera que sejam muitos”, deixa no ar.

Em relação ao fato de que o Brasil ter praias paradisíacas e o que faria com que um visitante buscasse a experiência do parque aquático, Manrique afirma: “Isso aqui não é só uma praia, isso aqui é um paraíso. O time criativo da Universal Orlando viajou pelo mundo inteiro, pelo Pacífico Sul, conhecendo ilhas, a comida, a cultura, a música, de todas as ilhas, de diferentes povos.”

Na terça, ao recepcionar dezenas de jornalistas do mundo inteiro, Thierry Coup, vice-presidente sênior da Universal Creative, comparou a inauguração do Volcano Bay à abertura das duas áreas de Harry Potter, joias do tesouro do complexo.

A porta-voz concorda, mas pondera. “Esse aqui é um parque diferente, é parte da nossa família de parques, mas é uma experiência completamente diferente. O bom é que agora o nosso resort é ainda mais completo, para quem adora o Harry Potter tem aquilo, para quem adora uma praia, um vulcão, uma brisa como a que você está sentindo, ondas, tem isso aqui para eles”, exemplifica.

Em relação à capacidade de público do Volcano Bay, mais mistério. “A capacidade sempre vai ser de acordo com a capacidade de segurança dos visitantes. Nosso time sabe que o foco principal é a segurança. Nossos times tem esses números, que eles veem, eles gerenciam para que todo mundo esteja bem. Eu não tenho essa informação, talvez você possa conseguir com nosso time de relações públicas”, despista. A assessoria de imprensa também afirma não ter estes números, assim como os valores de investimentos. Além da hospitalidade, o segredo aqui faz parte do negócio.

* O jornalista viaja a convite da Universal Orlando

Sugerir correção

Relacionados ao assunto

Carregar mais

Comentários